VIVACE MV otimiza processos no Hospital São Lucas da PUC-RS

Com as soluções de RIS e PACS da plataforma VIVACE MV, o Hospital São Lucas melhorou o atendimento e diminuiu emissão física de laudos para pacientes, trazendo mais praticidade e acessibilidade.

Otimizar o fluxo de laudos e exames de imagem, principalmente em tempos de pandemia, é crucial para o bom funcionamento de uma instituição de saúde. Em grandes hospitais, então, o uso integrado do Sistema de Informação em Radiologia (RIS) e do Sistema de Comunicação e Arqui-vamento de Imagens (PACS) é um caminho necessário a ser tomado para diagnósticos precisos e rápidos. Cliente da MV há três anos, o Hospital São Lucas da PUC, no Rio Grande do Sul, passou a utilizar as soluções de RIS e PACS da plataforma VIVACE MV para melho-rar o diagnóstico.

Fundada no dia 29 de outubro de 1976 com o nome de Hospital Universitário da PUC-RS, a instituição foi o primeiro investimento da Congregação Marista na área da Saúde no estado. O órgão atua como um hospital geral, de natureza filantrópica, onde circulam mais de 18 mil pessoas por dia. Com grande fluxo, é necessário ter estabilidade na hora do diagnóstico.

Neste caminho, as soluções de PACS e RIS atuam na formação e armaze-namento de tomografias e outros exames para a geração do laudo com rapidez e precisão. Com um cenário de oscilações na conexão, ocasionando lentidão no atendi-mento ao paciente e comprometimento da produtividade médica, o Hospital decidiu contratar a MV para garantir mais agilidade e eficiência em todos os processos, desde a realização do exame até a elaboração do laudo e entrega do resultado. "Tínhamos um grave problema de instabilidade com o sistema antigo, então mudamos para a MV com o intuito de buscar uma melhoria com um produto que nos atendia totalmente", afirma o Dr. Bruno Hochhegger, coordenador médico do departamento de imagem na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

A partir do PACS, desenvolvido para capturar, armazenar, distribuir e exibir imagens médicas, os médicos passaram a ter mais agilidade nos seus fluxos de trabalho. Já o RIS fez com que fosse otimizada a elaboração do laudo até a entrega do resultado com uma lingua-gem mais fácil para o paciente. Além disso, houve uma contribuição para reduzir o do uso de papel no ambiente hospitalar. “Para o paciente, o acesso remoto se tornou viável e fácil, reduzindo também a emissão de laudos (físicos).

Hoje nossos pacientes provenientes do Sistema Único de Saúde, que são 40% dos atendidos, são paperless”, completa o gestor. Com a implantação da platafor-ma VIVACE MV, o Hospital alcançou melhorias inclusive na detecção da Covid-19. Através do Raio-X do tórax e da leitura pelo PACS, foi possível ampliar a capacidade de visualização dos pulmões, tornando a leitura do médico mais efetiva e precisa. 

BAIXAR CASE
;