Rede São Camilo garante mais segurança para a área assistencial

Com todos os processos assistenciais informatizados, a melhoria na qualidade da assistência e na eficiência operacional tem sido notável

Manter um atendimento de qualidade é, sem dúvida, um desafio para as instituições de saúde. Em uma rede de hospitais, onde o volume de atendimento no pronto-socorro é um dos mais expressivos da cidade, o desafio é ainda maior. Diante desse cenário, a Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo sentiu a necessidade de adotar uma tecnologia que auxiliasse no processo de cuidado, garantindo agilidade, segurança e, acima de tudo, qualidade na assistência ao paciente.

A rede, composta pelos hospitais São Camilo Pompéia, Santana e Ipiranga, já contava com o sistema MV para controle de processos administrativos e financeiros de maneira integrada. Para a área assistencial, optou-se então por mais uma solução MV. O Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) proporcionou às três unidades mais eficiência nos processos clínico-assistenciais, aumentando a satisfação e a confiança dos pacientes. “Causa um impacto muito positivo no cliente quando ele vai a uma consulta e o médico já tem todo o seu histórico, desde a última data em que ele esteve na instituição até as medicações que foram prescritas”, afirma Klaiton Simão, diretor de TI da Rede São Camilo de São Paulo.

O PEP da MV tem facilitado a rotina de trabalho de 4 mil médicos, além de outros profissionais da saúde. Hoje é possível registrar de forma mais segura e descomplicada todos os procedimentos realizados, eliminando a possiblidade de extravio de informações. Com uma interface intuitiva e customizável, a adesão ao seu uso foi bastante satisfatória. “Por se tratar de uma ferramenta web, o PEP possui um grande diferencial no mercado, sem falar da sua configuração que é bastante amigável”, diz Ana Cristina Nóbrega, gerente de Projetos de TI da rede. Outro ganho significativo com a utilização do prontuário eletrônico foi na eficiência operacional, por meio da otimização da capacidade instalada. O suporte oferecido pela ferramenta contribuiu para aumentar a taxa de ocupação e o número de atendimentos, sem comprometer o tratamento do paciente e sem aumentar necessariamente o número de leitos.

Para Klaiton Simão, é importante ampliar a quantidade de leitos oferecidos, mas é preciso cautela. “O aumento de leitos deve vir acompanhado de eficiência operacional senão temos um problema de resultado financeiro”, explica. É preciso diminuir os custos e aumentar receita.

Atualmente, os hospitais São Camilo Pompéia, Santana e Ipiranga atendem mensalmente mais de 60 mil pacientes em urgência e emergência e realizam cerca de 20 mil consultas ambulatoriais. Com o processo assistencial 100% informatizado, as unidades contam com outras soluções que auxiliam em todos os processos relacionados à admissão do paciente, como a Classificação de Risco, que organiza o fluxo de atendimento de acordo com a prioridade do paciente; o Painel de Chamada, que viabiliza ao paciente um maior entendimento sobre as etapas do atendimento; e a solução de Gestão de Fluxo, que permite à instituição o monitoramento de cada fase do atendimento do pronto-socorro.

Causa um impacto muito positivo no cliente quando ele vai a uma consulta e o médico já tem todo o seu histórico, desde a última data em que ele esteve na instituição até as medicações que foram prescritas.

Klaiton Simão - Diretor de TI da Rede São Camilo

BAIXAR CASE
;